Artigo

O que não pode faltar em um site para saúde?


Publicado em 19/10/2012 - Atualizado 05/05/2017

O que não pode faltar em um site para saúde?

Um site para saúde não é um site qualquer. Deve levar em consideração a ética médica e seu principal objetivo: informar a sociedade. Além disso, ele deve ser profissional, bem construído, com ferramentas atuais e um design que espelhe sua identidade. É assim que a E-saúde desenvolve todos seus projetos de website da saúde e queremos compartilhar esse conhecimento com você.

Sendo assim, preparamos algumas dicas de elementos que não devem faltar no seu site. Veja a seguir.

1. Planejamento do site

Esse primeiro ponto é indispensável para qualquer projeto. Em um site da saúde, deve existir um planejamento inicial, em que deverão ser definidos: a) objetivo principal do site, b) público a ser atingido, c) conteúdo a ser divulgado, d) imagem que deve ser transmitida da sua instituição, e) qual será a periodicidade de atualização do mesmo e f) quais outras estratégias digitais estarão envolvidas com o seu site. Não se esqueça também de considerar no planejamento o código de ética que rege a publicidade da sua profissão. Entre em contato com o seu Conselho e solicite uma cópia deste material.

2. Produção do site

Agora que foi feito o planejamento, passa-se a etapa de produção. Aqui, deverá ser criada a arquitetura da informação do site, o conteúdo de texto (lembre-se que ele deve ser curto e objetivo para a internet) e as imagens que serão usadas (fotos da instituição e de sua equipe). De posse desses materiais, resta a criação do design e, finalmente, a programação e codificação do site (lembre-se de programar seu site em uma plataforma que permita edição fácil para você e sua equipe – nós recomendamos a plataforma do WordPress). Na etapa de programação do site, não esqueça de otimizá-lo para buscadores.

Algumas informações que não devem faltar: sobre a instituição, currículo dos profissionais, tratamentos oferecidos, telefone, formulário ou email para contato e artigos e dicas.

3. Integrações digitais

Em um contexto cada vez mais digital, algumas integrações são importantes. O que isso significa? Significa que o seu site deverá ser integrado a sistemas de email marketing (em que a pessoa que visite seu site possa se cadastrar para receber informativos periódicos) e a outras ferramentas sociais, tais como o Facebook, Youtube, Google+, Google Maps, Twitter (dependendo dos seus objetivos não precisam ser todas elas).

4. Cadastros importantes

É importante que sua equipe e sua instituição possua cadastros em diretórios da internet, tais como o Doctoralia, Hagah, Procuramed, Apontador, entre outros. O cadastro no Google Places também é bastante importante.

5. Alimentação do seu site

Agora que o seu site está pronto e integrado com as principais ferramentas de marketing digital, é muito (muito mesmo) importante que você periodicamente alimente-o com conteúdo relevante. Isso significa escrever, por exemplo, dicas e artigos com assuntos que o seu público-alvo tenha interesse.

6. Monitore os resultados e melhore

Finalmente, o seu site deve estar em constante aprimoramento. Vincule-o ao Google Analytics (ferramenta do Google que permite que você visualize uma série de informações sobre quem acessa o seu site, as páginas mais acessadas e uma série de estatísticas importantes) e monitore os resultados periodicamente, com o intuito de melhorar constantemente.

Mãos à obra!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba por e-mail conteúdos sobre Marketing Digital para saúde.

Quais são as especialidades médicas com maior potencial no mercado?

Artigo

Quais são as especialidades médicas com maior potencial no mercado?

Receba nosso conteúdo VIP