Facebook Pixel Como as instituições da área da saúde podem usar o crowdfunding

Artigo

Como as instituições da área da saúde podem usar o crowdfunding

Publicado em 06.09.2013

Como as instituições da área da saúde podem usar o crowdfunding

Traduzido para o português crowdfunding significa financiamento coletivo que tem ganhado muito espaço na internet. Funciona a partir de plataformas que divulgam seu projeto. Você deve definir a meta de financiamento e o prazo para atingi-la. Caso seja atingida, seu projeto pode tocar em frente, caso não atinja, o dinheiro volta para as mãos de quem doou.

O principal site de crowdfunding dos Estados Unidos (Kickstarter) conseguiu arrecadar mais de 319 milhões de dólares no ano passado. Hoje, no Brasil, o maior portal é o Catarse, qualquer pessoa pode inserir um projeto, mas passa por um crivo da equipe do site. Atualmente, existem cerca de 100 projetos arrecadando doações. Mais da metade atinge a meta e acontece. O Catarse já arrecadou mais de R$10 milhões para projetos.

Crowdfunding para instituições de saúde

Na área da saúde existe o Medstartr com o objetivo de financiar inovações para pacientes, médicos e instituições na área da saúde. Pena que é em inglês. Mas dá para ter ideia de projetos que dão certo.

Outro exemplo na área da saúde é a plataforma Watsi, mas criada para que os usuários possam doar dinheiro para indivíduos de países em desenvolvimento que precisam com urgência de tratamento médico. A organização atua em parceria com profissionais de medicina e identifica em regiões pobres pacientes que não têm condições de arcar com suas despesas de saúde. Nessa plataforma, para serem elegíveis ao financiamento coletivo, os pacientes devem atender a uma série de critérios rígidos, como a incapacidade de arcar com os custos do tratamento e sofrer de doenças que afetam seriamente seu padrão de vida. O custo dos procedimentos médicos não pode ultrapassar 3.000 dólares (aproximadamente 6.000 reais).

Pelo Facebook também é possível captar recursos para projetos. Por meio de um aplicativo chamado Mobilize, é possível captar recursos pela rede social. É gratuito e permite que um usuário da rede crie projetos e angarie fundos de amigos interessados em doar recursos para sua ideia. Vale ressaltar que, tanto o aplicativo como os sites de crowdfunding, cobram um percentual do negócio sobre o valor captado.

Algumas ideias de como começar:

1. Primeiro, defina um objetivo claro a ser atingido e que gere motivação nas pessoas em ajuda-lo. O quê, quanto e quando, exemplo: Reformar a ala X do Hospital Universitário. Valor: R$10.000,00, prazo para captação de 30 dias. (Planeje bem os gastos e cronograma de como isso acontecerá).

2. De preferência, crie um vídeo que explique seu projeto rapidamente. Se não for possível um vídeo, crie um texto simples com imagens. De qualquer maneira, mostre o detalhamento dos custos do projeto, cronograma de execução, como será executado.

3. Compartilhe o projeto via redes sociais, email, sites, enfim, quanto mais visibilidade tiver, melhor.

4. É muito importante recompensar a contribuição de cada doador. Você pode dar algo em troca como um presente físico ou algo simbólico. Agradeça publicamente a todos que doaram.

Caso o seu projeto atinja a meta, parabéns!, mas não esqueça de controlar muito bem sua execução e de passar um relatório de prestação de contas aos doadores.

Existem cursos online que ensinam como montar um projeto bem estruturado, investigue bem antes de começar seu projeto. Quanto mais estruturado, mais chances de dar certo!

As tendências do design para 2014

Artigo

As tendências do design para 2014

Receba nosso conteúdo VIP