Facebook Pixel Marketing Médico: 4 estratégias indispensáveis - E-saúde

Artigo

Marketing Médico: 4 estratégias indispensáveis

Publicado em 01.02.2016

Marketing Médico: 4 estratégias indispensáveis

Os pacientes que tem para atender no(s) consultório(s) ou clínica(s) é o que te motiva, como médico, a exercer a medicina, certo? E você tem muita disponibilidade para atendê-los, desde que eles cheguem até você. E esse é o ponto em que precisa trabalhar: fazer o seu paciente encontrar os seus serviços. Pois, bem. O marketing médico está aí para isso, te ajudar a identificar e fidelizar pacientes, para que possa fazer o que ama e, consequentemente, promover a saúde e o bem-estar das pessoas.

Provavelmente agora você está se perguntando como o marketing médico vai conseguir o que você, talvez, há algum tempo tem tentado, sem muito resultado: tornar aquele visitante do seu site ou aquela ligação em alguém que vai, de fato, comparecer a consulta. Na verdade, é bem simples. Aplicando estas 4 estratégias indispensáveis para a conquista de uma agenda bem ocupada.

1. Conhecer o público

Saber, ou melhor, conhecer o perfil do paciente que você tem e/ou quer ter é o insumo básico do marketing e é a primeira coisa que precisa realizar, caso ainda não tenha feito. É com base nesse conhecimento que se torna possível desenvolver estratégias que fomentem o atendimento às expectativas desse público, antecipar suas necessidades e surpreendê-lo ao satisfazê-las sem que uma palavra tenha sido mencionada a respeito.

As chances da relação de troca se estabelecer e ser perene são maiores quando se tem bem definido o perfil de público e o que ele efetivamente deseja e necessita. A fidelização depende da estratégia de gestão na saúde estar alinhada às expectativas das pessoas. Analise tudo isso com as ferramentas do marketing médico e depois se concentre na próxima estratégia.

2. Informação de qualidade

Até há algum tempo existia a crença velada de que se o médico falou, tá falado. É verdade, e ninguém discute. Só que a era da informação, apesar da controvérsia que é a busca por informação médica na rede devido ao risco de autodiagnóstico, mudou essa crença. Antes da opinião médica, as pessoas buscam entender, primeiro, o que pode estar acontecendo com uma pesquisa na internet. Nesse quesito, sai na frente quem oferece informação de qualidade. Pois, mesmo sendo questionadoras, as pessoas confiam nos médicos. Só que a confiança delas é seletiva. Precisa ser conquistada. Para isso, o que esperam é que os médicos lhes deem informações detalhadas sobre sua condição, apresentem as possibilidades, indicando as opções de tratamento, suas vantagens e desvantagens.

Sim. Elas podem obter tudo isso com você na consulta. Mas, por quê não oferecer parte disso antes, por exemplo, abordando o assunto em um texto publicado em seu site, de forma simples, dinâmica e interessante, que as faça querer saber mais e transforme você em referência para quando a consulta for necessária, seja agendada na sua clínica ou consultório?

3. Bom atendimento

Esteja preparado para receber seu público. “A primeira impressão é a que fica” não é só uma expressão. É fato. O primeiro contato com o paciente é o cartão de visitas da empresa. Faltas cometidas neste momento geram expectativas ruins. E o que você quer é exatamente o oposto, certo? Gerar uma experiência tão positiva ao ponto de que a pessoa se transforme em “vendedora”, ao se dedicar a relatar o quão bom foi consultar-se com você e recomendar seus serviços.

Então, planeje. E preocupe-se não só em você próprio gerar essa experiência, mas em comprometer toda a equipe nisso, já que não apenas a experiência que o usuário terá como paciente é capaz de determinar sua fidelidade, mas a soma de todos os momentos experimentados no ambiente. Nesse contexto, é válido o investimento em qualificação, tanto das equipes médicas, no caso das clínicas, como do pessoal de atendimento. Uma equipe atenciosa, ágil e preparada também influencia no relacionamento com o paciente.

Relacionamento com o paciente

O paciente bem atendido, satisfeito, volta. Sempre volta. Até porque as pessoas não gostam de ter de ficar mudando de médico e recontar tudo o que se passa com ela para um novo profissional para que ele entenda e perceba porque ela está ali e do que realmente precisa. Só que você não precisa esperar a pessoa voltar para se relacionar com ela. Há outras formas de mantê-la em contato com você e, com isso, até antecipar o retorno para uma nova consulta. O envio de newsletter informando sobre novos serviços, com dicas de saúde e até a parabenizando pelo aniversário é uma delas.

A construção de um relacionamento mais confiável e perene é um desafio para os médicos que atuam em consultórios. Principalmente porque o perfil de público atual demanda um atendimento mais integrado, particular e individualizado, em que há espaço para uma interação maior com os médicos e acesso mais fácil às próprias informações de saúde. Requer mais que o tratamento das doenças com qualidade e segurança, requer a sensação de proximidade, que é possível e eficaz na fidelização dos clientes.

Pronto! Agora você já sabe como o marketing médico pode te ajudar. Mas, caso ainda tenha alguma dúvida ou queira compreender melhor alguma dessas estratégias, está convidado a vir tomar um café com nossa equipe. Teremos satisfação em colaborar na criação das estratégias para você alcançar resultados de excelência com seu marketing médico.

Dados sobre marketing para a saúde e internet

Artigo

Dados sobre marketing para a saúde e internet

Guia de marketing para clínicas médicas

E-book

Guia de marketing para clínicas médicas

Receba nosso conteúdo VIP