Artigo

Pesquisa aponta principais fatores que prejudicam a imagem do médico

Publicado em 18.01.2013

Pesquisa aponta principais fatores que prejudicam a imagem do médico

A pesquisa entrevistou cerca de 600 pacientes no eixo Rio-São Paulo. As respostas mais comuns foram agrupadas em sete grandes grupos:

Grupo 1: Recepção – falta de simpatia; palavras educadas (como “por favor” e “obrigado”) ausentes; recepcionista acha que faz um favor ao atender; falta de interesse em saber se o paciente precisa ou pretende voltar para outra consulta.

Grupo 2: Atendimento telefônico – irritação e antipatia; paciente tratado como “meu bem”, “querido” ou similar, criando uma falsa intimidade; paciente é interrompido enquanto fala ou pede-se que ele seja mais rápido, ligue mais tarde ou aguarde “uns minutinhos”; atendente come, bebe ou masca enquanto fala.

Grupo 3: Ambiente físico – desorganização na recepção; bagunça na mesa do médico; arquivo de fichas fora de ordem, retardando o atendimento; revistas e jornais espalhados pelas cadeiras; móveis fora do lugar ou em mal estado de conservação; banheiro sem limpeza; consultório com chão e paredes sujos.

Grupo 4: Tempo de espera – tempo de espera longo; hora marcada não cumprida; recepcionista não impede que a insatisfação de um paciente “contamine” outro; não há distrações para minimizar o desgaste da espera; não há explicações para a demora; na consulta, o médico não se desculpa pela espera.

Grupo 5: Atendimento médico – falta de simpatia e de “empatia” com o paciente; desvalorização do paciente como ser humano; uso de termos de difícil compreensão; falta de explicação precisa sobre termos médicos; letra incompreensível em receituários e atestados.

Grupo 6: Qualificação e atualização – médico não se aprimora e desconhece novos avanços da Medicina; recepcionista não procura se atualizar, por falta de incentivo; equipamentos obsoletos no consultório, causando desconforto aos pacientes e gerando exames com resultados imprecisos.

Grupo 7: Canais de comunicação – médico e sua equipe não se interessam em saber se os pacientes estão satisfeitos; não há um canal para o paciente fazer reclamações e sugestões; paciente não pode tirar dúvidas com o médico fora do horário da consulta; não há um contato constante com os pacientes.

Essa foi uma pesquisa realizada por Renato Gregório, especialista em Marketing Médico que gostamos muito.

Como avaliar a produtividade da clínica médica?

Artigo

Como avaliar a produtividade da clínica médica?

7 dicas para melhorar o atendimento da sua clínica

E-book

7 dicas para melhorar o atendimento da sua clínica

Receba nosso conteúdo VIP